terça-feira, 6 de setembro de 2011

Prefeitura Modelo

Iniciativa da rede municipal de ensino é referência na Educação Especial

02/09/11

Guarujá é referência em Educação Especial e inclusão escolar na rede municipal de ensino. O programa de Educação Especial da Prefeitura nas escolas funciona de acordo com os critérios do Ministério de Educação (MEC). Dois projetos da rede municipal, o Educação Bilíngue e o Atendimento à Criança com Autismo, fazem parte do livro “Município que Educa: inovações em processo”, da União dos Dirigentes Municipais de Ensino do Estado de São Paulo (Undime).
 
A Cidade também recebe visitas de interessados em conhecer o Programa e complementa o atendimento com o acesso a práticas esportivas, nos Centros de Atividades Educacionais e Comunitárias (Caecs), e uma rede de Saúde digna.
 
Educação Especial em Guarujá é levada a sério
 
No início do mês, cinco profissionais da Educação Especial de São Bernardo do Campo vieram conhecer o Educação Bilíngue (Português e Língua Brasileira de Sinais – Libras) para crianças e adultos surdos de Guarujá. São Bernardo é responsável pela divulgação de projetos na área de outras 25 cidades do Estado para o MEC.
 
A chefe da Educação Especial da Prefeitura de São Bernardo, Virgínia Gonçalves de Oliveira Marino, contou que veio conhecer o programa de Guarujá porque, além de estar de acordo com os critérios exigidos pelo MEC, apresenta avanços, mesmo na fase de implantação. “Este programa precisa ser divulgado. Vou chegar em São Bernardo e fazer um relatório para o MEC contando”.
 
Além disso, no Dia de Conscientização do Autismo, 2 de abril, houve uma grande programação nas escolas, com a participação dos pais e da comunidade. Os pais se mostram bastante felizes com a ação: “Meu filho, Andrew, falava só mamãe e papai, com dois anos. Mas foi à escola e não falava nada, ficava embaixo da carteira e tinha medo dos outros. Fiquei apavorada e chorava. Então diagnosticaram autismo, na escola, onde agora ele tem uma tutora. Ele melhorou e se desenvolveu. Estou tão satisfeita! Agora tem amigos e fala até o nome deles. Ele acaba de almoçar e pede para ir à escola, mesmo nas férias”.
 
Números – O Educação Especial funciona em toda a rede e atende 100% dos alunos com algum tipo de deficiência. São 733 alunos tratados diariamente nas escolas da Prefeitura por educadores, colegas e pela equipe da Educação Especial. Ao todo, 405 alunos estão matriculados no Ensino Fundamental, 77 na Educação Infantil, 119 na Educação de Jovens e Adultos (EJA) e 132 nos Caecs.
 
“A nova política Nacional de Educação Especial, publicada em 2007, da qual somos signatários, respalda todo trabalho desenvolvido em Guarujá pela Divisão de Educação Especial. Nossas ações e diretrizes são pautadas pela busca de uma ‘Educação para Todos’. Os nossos serviços oferecidos aos alunos com deficiência visam à complementação de sua formação e não a substituição do ensino regular”, explicou a coordenadora da equipe, Ana Maria Lopes da Nova.
 
O Centro de Atenção Psicossocial infantil - Caps i (Rua Carlos Nehring, 640 – Santa Rosa) e a Associação de Pais e Amigos dos Autistas de Guarujá - Apaag (Rua Álvaro Nunes da Silva, 110 – Jardim Conceiçãozinha, em Vicente de Carvalho) também dão respaldo para o tratamento dos autistas e deficientes da Cidade, ambas com atendimento médico, psicológico, de fisioterapia, terapia ocupacional, assistência social entre outros. O Caps i atende 100 pessoas, com até 18 anos, e a Apaag 132, entre 2 e 32 anos.
 
“Somos referência com projetos inovadores de melhoria do ensino. O que deverá, futuramente, alinhar as políticas municipais, estaduais e federais, auxiliando no andamento do ensino público”, frisou a secretária municipal de Educação.

Nenhum comentário:

Postar um comentário