sexta-feira, 28 de outubro de 2011

Cientistas Americanos descobrem drogas que triplicam a capacidade do Cerebro

Cada um dos 100 bilhões de neurônios cerebrais tem milhares de conexões com outros neurônios. Essas conexões, conhecidas como sinapses, permitem que as células possam rapidamente compartilhar informações, coordenar atividades, garantir o aprendizado e sustentar os circuitos que fazem parte da memória. Avarias nas ligações entre neurônios têm sido associadas a distúrbios neurológicos, entre eles o autismo e a doença de Alzheimer, bem como ao declínio da memória durante o processo de envelhecimento.
Muitos cientistas acreditam que o reforço conexões sinápticas poderia oferecer um modo de tratar essas doenças mentais, e de retardar problemas relacionados com o declínio da função cerebral por causa da idade avançada. Agora, uma equipe de pesquisadores do Massachusetts Institute of Technology (MIT) desenvolveu uma meio de aumentar as sinapses entre as células. O experimento foi realizado em laboratório, em condições muito controladas, que permitem projeções em larga escala com o objetivo de produzir novos medicamentos.
Os pesquisadores já identificaram vários compostos que podem reforçar sinapses cerebrais. Tais medicamentos ajudam a compensar o declínio cognitivo, observado no mal de Alzheimer, por exemplo. O estudo foi publicado na edição de outubro da revista Nature.
Segundo Mehmet Fatih Yanik, professor associado do MIT e líder da equipe de pesquisa - que conta ainda com os assistentes Mark Scott e Zachary Wissner-Gross, Stephen Haggarty, Balaram Ghosh e Dongpeng Wan da Universidade de Harvard, e Ralph Mazitschek do Massachusetts General Hospital - o trabalho da equipe desenvolveu e analisou vários compostos de drogas potenciais selecionados no estudo.
Numa sinapse, um neurônio envia sinais para uma ou mais células, liberando substâncias químicas chamadas neurotransmissores, que influenciam a atividade da célula receptora. Os cientistas descobriram meios de induzir neurônios cultivados em laboratório para formar sinapses, mas isso geralmente produz uma mistura de conexões que é difícil de estudar.
Na nova configuração desenvolvida por Yanik e seus colegas, os neurônios pré-sinápticos (aqueles que enviam mensagens através de uma sinapse) são cultivados em compartimentos individuais, no laboratório. Os compartimentos têm apenas uma abertura, em um pequeno canal, que leva a outro compartimento. O neurônio pré-sináptico envia seu axônio longo através do canal para o outro compartimento, onde pode formar conexões sinápticas, com células dispostas em uma grade.
- Dessa forma, no laboratório, podemos induzir sinapses em posições muito bem definidas - afirma Yanik.
Usando esta técnica, os pesquisadores conseguiram criar centenas de milhares de sinapses em laboratório, e então usá-los para testar os efeitos de compostos da droga potencial. Esta técnica detecta alterações na força sináptica com sensibilidade dez vezes maior do que os métodos atualmente existentes.
Neste estudo, os pesquisadores criaram e testaram variantes de um tipo de molécula conhecida como um inibidor de HDAC. As HDACs são enzimas que controlam como o DNA é enrolado no interior do núcleo da célula, o que determina quais genes podem ser copiados e quais são aqueles que se expressam ativamente. Os inibidores de HDAC, capazes de afrouxar bobinas de DNA e revelar genes que tinham sido desligados, estão agora sendo observados como formas potenciais de tratamento para a doença de Alzheimer e outras doenças neurodegenerativas.
O objetivo dos pesquisadores era encontrar inibidores de HDAC que, especificamente, fossem capazes de ativar genes, que melhoram as conexões sinápticas. Para determinar quais os efeitos mais fortes, eles mediram a quantidade de uma proteína chamada sinapsina, encontrada nos neurônios pré-sinápticos. Esses testes renderam vários inibidores de HDAC, que fortaleceram as sinapses, e permitiram melhorar a força das sinapses em 300 por cento. Vários inibidores de HDAC tiveram pouco efeito sobre a força sináptica, demonstrando a importância de encontrar inibidores de HDAC específicos para genes sinápticos.
- A nova tecnologia oferece uma melhoria significativa sobre os métodos existentes para o cultivo de sinapses. Permite também estudar sua formação - comenta Matthew Dalva, professor associado de Neurociências na Thomas Jefferson University, que não fez parte da equipe de pesquisa. - Ainda sabemos tão pouco sobre a formação de sinapses, este estudo pode abrir novas portas.
A próxima etapa do estudo é saber se este sistema também pode ser usado para examinar as conexões entre tipos específicos de neurônios, obtidos de diferentes regiões no cérebro. Caso haja condições de melhorar conexões específicas em determinadas áreas do cérebro, a pesquisa vai ser altamente benéfica para pessoas com autismo, por exemplo. Yanik tem planos também para tornar a tecnologia disponível para outros grupos de pesquisa interessados.


Fonte: Jornal o Globo 

terça-feira, 25 de outubro de 2011

Brasil pode ter um milhão de Autistas não diagnosticado

Um tratamento alternativo para autismo, síndrome que afeta todas as áreas do comportamento humano, foi foco de pesquisa na Escola Superior de Agricultura “Luiz de Queiroz” (USP/ESALQ).
 

O aumento de número de pais que utilizam uma terapêutica coadjuvante para o controle dos sintomas em seus filhos, fez com que pesquisadoras da instituição estabelecessem uma relação entre hábito alimentar e síndrome do espectro autista.
Os tratamentos mais populares são dietas que orientam para a exclusão de alguns alimentos ou grupo de alimentos. Entre as diversas dietas propostas, a mais popular é a dieta isenta de glúten (proteína presente no trigo) e caseína (proteína presente no leite e derivados). Porém, a análise dos estudos que comprovam a eficácia da dieta isenta de glúten e caseína tem sido criticada devido a questões importantes como o desconhecimento de um padrão alimentar que possa favorecer o agravamento dos sintomas do autismo e ausência de análises laboratoriais que comprovem a eficácia da dieta. Outra hipótese é de que distúrbios do metabolismo da creatina também estão integrados à doença.
“A pesquisa teve como objetivo identificar o padrão de hábito alimentar de um grupo de autistas, promover testes para o desenvolvimento de métodos de análises laboratoriais que comprovem a eficiência da dieta isenta de glúten e caseína e, também identificar a ocorrência de alterações do metabolismo da creatina a partir da análise da concentração de creatina em urina”, assegura Nádia Isaac da Silva, do programa de pós-graduação em Ciência e Tecnologia de Alimentos.
Nádia relata que o estudo foi conduzido com uma população de 28 autistas com idade entre 2 a 33 anos e que a triagem foi realizada no Centro Municipal de Especialização do Autista (CEMA) da cidade de Limeira (SP), e no Núcleo de Especialização e Socialização do Autista (NESSA) da cidade de Mogi-Guaçú (SP).
A pesquisadora revela que para atingir os objetivos da pesquisa foi elaborada uma anamnese nutricional (teste recordatório ou histórico do paciente) contendo questões sobre características sociodemográficas das famílias dos autistas participantes, histórico pessoal de doenças, comportamento autista durante as refeições e levantamento de hábito alimentar. Para caracterizar o quadro clínico da população foi realizada uma avaliação psicológica por método quantitativo Childhood Austism Rating Scale (CARS). As concentrações de creatina na urina dos autistas e grupo controle formado por parentes do mesmo sexo foi determinada pelo método de Jaffé otimizado.
Os resultados sobre a caracterização da população indicaram que 1/3 dos pais de autistas possuem baixa escolaridade e 60% renda familiar na faixa de 2 a 4 salários mínimos. Segundo o método de avaliação CARS, 64% dos autistas são casos graves e 68% se encontram na faixa de retardo mental. A renite alérgica é a patologia de maior prevalência na população estudada. Em média, 60,71% dos autistas apresentam sintomas gástricos, sendo o mais freqüente a flatulência (39,90%).
O registro sobre comportamento alimentar identificou que 50% dos autistas expressam o comportamento de comerem muito rápido e 46,43% consomem porções exageradas de alimentos. Esse fato influencia diretamente no hábito alimentar.
A avaliação de adequação de consumo de nutrientes revelou que 57,14% têm o consumo de energia superior ao recomendado e baixo consumo de fibras, ácido ascórbico e cálcio. Já as análises de concentração de creatinina revelaram que os valores são significativamente inferiores em crianças autistas e do grupo controle formados por parentes distantes, e que são similares quando comparado com grupo formado por seus pais.
“Diante disso, o conhecimento do hábito alimentar e principalmente o desenvolvimento de métodos de análises que comprovem concentrações inadequadas de peptídeos opiáceos derivados do glúten e da caseína ainda é um desafio”, afirma a pesquisadora. Hoje, continua Nádia, “é necessária a realização de pesquisas para criar metodologias de análise de peptídeos opioides em fluidos corpóreos mais confiáveis, passíveis de reprodução. Na literatura, os resultados positivos obtidos em estudos não são replicáveis, formando uma lacuna para a compreensão da relação entre alimentação e comportamento autista”, conclui.
Para Jocelem Mastrodi Salgado, orientadora do estudo, “a importância dessa pesquisa é mostrar que tanto o conhecimento como a compreensão dos fatores associados à patologia e o emprego de exames laboratoriais seguros irão contribuir para um diagnóstico precoce da doença, possibilitando dessa forma o acesso a tratamentos mais adequados. Esses tratamentos sem dúvida alguma, acarretarão a melhora do quadro clínico e, consequentemente da qualidade de vida dos autistas”.
Jocelem afirma ainda que, “as pesquisas com finalidade de criar novos tratamentos coadjuvantes e biomarcadores confiáveis de diagnóstico para o autismo são de grande importância em um país como o Brasil em virtude do elevado número de casos de autistas que não têm acesso ao diagnóstico e nem a tratamento adequado. Até a presente data, não existe no país dados oficiais sobre a prevalência do autismo. Informações apontam para a média de 50 mil autistas, mas estima-se que exista, pelo menos, 1 milhão deles sem diagnóstico”, finaliza.
O projeto de pesquisa foi desenvolvido nos laboratórios de Nutrição Humana do Departamento de Agroindústria, Alimentos e Nutrição (LAN), sob orientação de Jocelem Mastrodi Salgado.


Fonte: UOL

segunda-feira, 24 de outubro de 2011

Criança autista. Família autista?

Criança autista. Família autista?
Elizabeth POLITY

Introdução.

Pretendo neste artigo refletir sobre o trabalho desenvolvido com famílias de crianças diagnosticadas como "autistas". Parti da hipótese de que existe um isomorfismo entre a manifestação do comportamento da criança autista e de sua família, redundando em padrões de funcionamento que tendem a isolar o grupo do contexto social mais amplo.
Como terapeuta familiar e psicopedagoga, centrei meu olhar no atendimento a crianças/jovens que apresentam a queixa de dificuldade de aprendizagem (incluindo crianças autistas). Esta experiência, desenvolvida em consultório particular e em uma instituição que atende especificamente a população supra definida permitiu-me observar, por um período bastante longo, crianças/jovens, suas respectivas famílias e a relação que estas estabelecem com o contexto social mais amplo, incluindo a escola.
Nestes encontros, algumas questões foram se constituindo como centrais e me levaram a observar o funcionamento e a organização do sistema familiar em torno do problema. Dentre elas:

  • Como o sistema familiar define o problema (aqui entendido como o filho autista)?
  • Como o problema (idem) define o sistema familiar?
  • Que narrativas são usadas pela família para construir esse contexto?
Isomorfismo = designa a identidade de estrutura. Dois conjuntos serão ditos isomorfos se houver uma correspondência biunívoca que mantenha invariantes as relações que caracterizam a estrutura. O esforço em prol da busca de tipologias familiares [...] visa encontrar isomorfismos entre conjuntos de transações que caracterizam famílias que comportem um membro doente.
(Miermont e cols., 1994, p.342).

E ainda:
  • O funcionamento da família de uma criança autista pode também ser considerado autista?

Um referencial teórico para a prática.
Em primeiro lugar, a título de elucidação, cabe trazer o que entendo por autismo e com que sentido essa palavra será aqui usada, visto ter na literatura especializada uma grande diversidade de maneiras de definir o quadro.
Sabe-se que dependendo do viés teórico e da formação do profissional, o autismo pode ser visto como uma desordem de ordem puramente neurológica, ou de ordem psicológica ou ainda da ordem do desenvolvimento global, com a presença de sinais bem definidos, podendo por isso ser considerado uma síndrome.
Em comum a todas as definições, o que se observa é que o quadro se caracteriza por um déficit na comunicação, no relacionamento social organizado, na interação e por um isolamento bastante acentuado. O convívio social é pobre, as brincadeiras são bem estereotipadas, e o sujeito mostra-se mais voltado para si próprio do que para o mundo externo.
O autismo foi diagnosticado como doença, em 1943; no Brasil, só na década de 80, começou-se a trabalhar mais diretamente com ele. Antes disso, muitos pacientes eram tratados com um diagnóstico diferente. Mesmo porque, não se conhecia o quadro "autista", então, esses pacientes eram tratados em casa, e só quando se tornavam muito agressivos eram encaminhados a um hospital psiquiátrico.
Poder-se-ia listar alguns comportamentos freqüentes em sujeitos com o diagnóstico de autista. Como por exemplo:

  • distúrbio de contato afetivo;
  • atraso na linguagem e comunicação;
  • gestos estereotipados;
  • resiste a mudanças de rotina;
  • indica necessidades através de gestos;
  • não demonstra medo diante de perigos reais;
  • hiperatividade;
  • não tem contato visual direto;
  • apego inapropriado a objetos;
  • tendência ao isolamento;
  • resistência ao aprendizado.

A criança autista costuma desenvolver relações nada usuais, bem extremadas com os objetos: ou não se interessa minimamente por eles, como se não existisse nada ao seu redor, e por isso o nome autismo, (estar auto-centrado, exageradamente em si), ou, ao contrário, fica fascinado e extremamente ligado com um pedaço de madeira, o movimento de um relógio, etc... Muitas vezes, se percebe que uma simples mudança de lugar de algum objeto familiar pode desencadear uma crise desesperada de choros e gritos.
A descrição destas características ajuda os profissionais a estabelecer um diagnóstico correto, que muitas vezes traz um certo alívio aos pais.

A família e o autismo: uma família autista?Trabalho com famílias numa visão Sistêmica Construcionista Social. Isto, em breves palavras, equivale dizer que acredito que a família funcione como um sistema, onde seus membros são interdependentes, e o comportamento de um afeta e é afetado pelo comportamento dos demais membros do grupo, de uma forma circular e recursiva. Acredito também que a aprendizagem, no seu sentido mais amplo, ocorra no contato com o outro, na relação que se estabelece entre as pessoas e que, por sua vez, é construída pelo contexto onde o encontro se dá.
Dentro desta perspectiva interessa perceber como o problema "autismo", presente em um dos membros da família, cria um contexto de relações (ou de ausência delas) que leva algumas famílias a comportar-se também de uma "forma autista", posto que existe um padrão de aprendizagem do grupo familiar que é construído na e pelas relações.
Gauderer (1992) já apontava para o sofrimento da família de um portador de deficiência e pontuava a necessidade da mesma receber uma abordagem que acolhesse este sofrimento, tanto por razões humanitárias, quanto principalmente, para que funcione melhor, posto que, uma família saudável proporciona uma vida melhor para a criança deficiente.
Do ponto de vista da dinâmica familiar, é importante perceber que existe um processo de luto subjacente, quando do nascimento de uma criança disfuncional, seja ela física, emocional ou intelectual; ou ainda a combinação de todos esses aspectos. Processo esse que nem sempre é bem elaborado pela família, agravando o quadro já existente. Usualmente essas famílias passam pelas mesmas fases descritas por Bolwby (1993), quanto à elaboração do luto: raiva, negação, depressão e por fim, se possível, a aceitação - ou uma fase de maior organização.
A criança vem inscrita no desejo materno, afirma a psicanálise, e os pais que se vêem às voltas com a frustração de ter um filho diferente podem estabelecer vínculos patológicos com essa criança. Algumas vezes, na tentativa de super protegê-la, encobrem sua raiva e frustração, outras, colocam-na num plano de menos valia, determinando para ela uma incompetência que está muito longe de corresponder à realidade e com isso, a mantém eternamente infantilizada, sem autorização para desenvolver o potencial que apresenta.
Nas famílias com crianças ou jovens portadoras de autismo, que foram alvo de minha observação, pude perceber a dificuldade do grupo em lidar com as "perdas" que este tipo de situação impõe: expectativas frustradas, impossibilidade de realizar desejos destinados à criança, a carga que recai sobre um dos pais, quando sozinho deve dar conta da função parental e da desorganização da criança, etc.. Enfim, são muitas as situações de perda que aparecem relacionadas nestes casos.
Esse conjunto de situações freqüentemente favorece que a família se isole do seu contexto social, relute em pedir ajuda, não visite amigos nem parentes, enfim, tenha ela mesma um comportamento auto-centrado e com baixa qualidade na comunicação.

Elizabeth POLITY

domingo, 23 de outubro de 2011

Jacqui Jackson "Magnificent 7"

Desta vez, vamos nos referir a outros heróis, sem cavalos ou armas, embora às vezes um deles gosta de vestir jeans.
Jacqui Jackson, uma cópia de uma mãe britânica com sete filhos, três mulheres (uma com ASD) e 4 homens, todos os autistas. Jacqui graduado em Ciências Sociais da Universidade Aberta do Reino Unido, e completou seu doutorado na Universidade de Coventry em especial as características sensoriais das crianças autistas.




Mateus, o filho mais velho, parto prematuro e que sofrem de dislexia e dispraxia, para manifestar distúrbios seu motor, que o impediram de entrar como cadete na Marinha Real.
  
Lucas, também diagnosticada com dispraxia e síndrome de Asperger, transtorno invasivo do desenvolvimento caracterizado pela ausência de empatia em pessoas afetadas.


Joe, que sofre de um distúrbio de atenção e hiperatividade.


Ben, que também nasceu prematuramente e autismo, alérgica ao ruído, e roupas leves, o mais indefeso de todos.
Sarah, diagnosticado com um transtorno do espectro autista.

Anna Rachel e saudável, sem qualquer transtorno.
  
Eles são os amados personagens de "Magnificent 7" (Kenneth Glenan, 2005), um filme sobre autismo.
Seu antecessor imediato foi o telefilme britânico "Minha Família e Autismo" (Fran Landsman, 2003), um documentário sobre a família Jackson com vários dos seus membros dentro do espectro autista.


 
Fonte: Feliz Autismo. 

Camundongo transgênico abre novos caminhos para compreensão do autismo

Camundongo transgênico abre novos caminhos para compreensão do autismo

O autismo, atualmente referido como transtornos do espectro autista (TEA), que atinge um em cada 150 indivíduos, tem sido objeto de muitas pesquisas. Trata-se de uma doença complexa e heterogênea e a maioria dos casos parece obedecer a um mecanismo de herança multifatorial com interação entre os genes e o ambiente. Uma das causas genéticas recentemente identificadas, que entretanto acomete menos de 1% dos casos, são alterações do número de cópias (pode faltar = deleção; ou pode estar a mais = duplicação) de um pedaço no cromossomo 16.
Pesquisar como alterações genéticas produzem as características do comportamento autístico tem sido de grande interesse. Um grupo de cientistas liderados pela Dra. Alea Mills acaba de gerar um modelo de camundongo com as mesmas mutações encontradas em seres humanos. A pesquisa publicada no Proceedings of the National Academy of Sciences ( 3 de outubro) permitirá estudar nos camundongos vários parâmetros de grande relevância porque entender é o primeiro passo para gerar novos tratamentos. Para falar mais sobre isso entrevistei a Dra. Maria Rita Passos-Bueno, uma das grandes autoridades no assunto, que coordena importantes pesquisas em autismo no Centro de Estudos do genoma Humano.


A sua equipe vem testando essa mutação em pacientes com suspeita de autismo desde 2010. Quantos pacientes apresentaram essa alteração?
Até o momento foram testados 350 pacientes com suspeita de autismo e em 3 casos detectamos esta alteração do cromossomo 16: 2 com duplicação e 1 com duplicação (0.8%).

O que os pesquisadores observaram no modelo animal contendo essas alterações genéticas?
Estes pesquisadores “construíram” alguns animais com deleção e outros com duplicação equivalente a região do cromossomo 16 que está alterada em pacientes com TEA. Eles verificaram alterações de comportamento, principalmente nos animais com deleção. Observaram ainda que algumas das estruturas cerebrais estudadas eram maiores nos animais com deleção do que naqueles com duplicação.

Essas alterações são comparáveis ao que se observa em seres humanos?
Estes resultados mostram que esta região cromossômica é tambem importante para o desenvolvimento do cérebro em outros animais que não o homem. As comparações entre camundongos e humanos devem ser feitas com muita cautela. Contudo, a correlação entre o tamanho do cérebro e a presença de deleção (maior) e duplicação (menor) observada nestes animais é um resultado bastante relevante e comparável a macrocefalia (cérebro de tamanho aumentado) e microcefalia (cérebro de tamanho diminuido) que são observadas nos pacientes com deleção e duplicação da regiao 16p11.2, respectivamente.

Como esses achados poderão ajudar em futuros tratamentos?
Esta região do cromossomo 16 que pode estar faltando (deleção) ou que pode estar a mais (duplicação) envolve mais de 25 genes. Sendo assim, uma questão muito importante é descobrir qual ou quais destes genes são de fato os causadores do autismo. A expectativa dos cientistas é que entendendo a causa do autismo seja possível identificar drogas que possam auxiliar no tratamento destes pacientes. Uma outra vantagem de se dispor de um modelo animal com alterações mensuráveis é a possibilidade de testar-se medicamentos experimentalmente antes usá-los em humanos.

Qual é a importância de testar-se pacientes para essa ou outras mutações?
Uma das grandes angústias dos pais de crianças portadoras de algum problema é saber o “por quê”. A identificação da alteração no cromossomo 16 pode ser uma resposta a esta questão. Além disso, ela possibilita estimar com precisão se há risco de repetição em novas gestações. Além da alteração do cromossomo 16, estamos conseguindo identificar a causa genética do autismo em alguns outros pacientes. Apesar da proporção ser relativamente pequena, isso permite conhecer e entender melhor a variabilidade clínica e prognóstico destes casos, o que certamente irá contribuir para um diagnóstico clínico mais precoce e mais preciso em um futuro próximo.
Por Mayana Zatz - Revista Veja

sábado, 22 de outubro de 2011

Prêmio Top Blog 2

Pessoal

Hoje iniciasse a segunda etapa do Prêmio Top Blog, e sua participação é muito importante,

Vote e dê sua colaboração!!
Abç Azuis

Mauricio Moreira

http://maxemathe.blogspot.com/

sexta-feira, 21 de outubro de 2011

Estudo mostra relação entre aumento de casos de autismo e diabetes

Redação do DIARIODEPERNAMBUCO.COM.BR
20/10/2011 | 20h26 | Saúde  

    
Uma nova pesquisa sobre as anomalias genéticas e bioquímicas associadas ao autismo revela que existe uma possível ligação entre a doença neurológica e o diabetes tipo 2. Os dois transtornos médicos tiveram o número de casos em ascensão nas últimas décadas.

"Parece que ambos, o diabetes tipo 2 e autismo, têm um mecanismo comum subjacente: a intolerância à glicose e a hiperinsulinemia (excesso de insulina na corrente sanguínea)", avalia Michael Stern, bioquímico da Rice University, nos EUA e autor do estudo que aparece na edição deste mês da revista Frontiers in Cellular Endocrinology.
A hiperinsulinemia, frequentemente um precursora da resistência à insulina, é uma condição caracterizada por níveis de excesso de insulina na corrente sanguínea. Resistência à insulina é freqüentemente associada com obesidade e com o diabetes tipo 2.
"Será muito fácil para os clínicos testar a hipótese deste estudo", afirma Stern, professor de bioquímica e biologia celular na Rice. "Eles podem fazer isso colocando crianças autistas em dietas de baixo carboidratos, que minimizam a secreção de insulina, e ver se os sintomas melhoram".
Stern diz também que a nova descoberta sugere que a tolerância à glicose em mulheres grávidas pode ter de ser abordada com mais seriedade do que tem sido feito até agora.
O laboratório de Stern está localizado no Collaborative Rice Research BioScience, seção especializada em investigar as interações genéticas associadas a doenças genéticas como a neurofibromatose, um distúrbio no qual os pacientes são várias vezes mais propensos a apresentar sintomas de autismo e de desordens do espectro do autismo, como a síndrome de Asperger. Autismo e Asperger são desordens neurológicas que têm forte base genética, mas ainda pouco compreendida pelos pesquisadores. Os Centros dos EUA para Controle de Doenças e Prevenção estimam que cerca de nove em cada mil crianças dos EUA são diagnosticadas com autismo ou Asperger.
Stern comenta que, pelo menos, quatro genes associados com freqüência ao autismo são conhecidos por produzir proteínas que desempenham um papel chave em um caminho bioquímico conhecido como PI3K/Tor. Stern diz que estava estudando uma forma de funcionamento anormal nas sinapses de cobaias com esta espécie de anomalias, notavelmente semelhantes a anormalidades observadas em cobaias com defeitos em um caminho diferente, conhecido como mGluR, que determina depressão a longo prazo.
"Passei muito tempo pensando sobre a sinalização da insulina, porque um outro projeto no meu laboratório é um projeto de endocrinologia em que estamos estudando como as principais proteínas envolvidas na sinalização de insulina afetam o tempo de metamorfose em cobaias de laboratório", diz Stern.
De seus estudos em ambas as áreas, Stern sabia duas coisas: PI3K/Tor foi a principal via de sinais de insulina dentro das células, e a insulina pode afetar as sinapses de modo muito semelhante aos defeitos mGluR associados com o autismo.
"Quando li que a incidência de autismo foi aumentando, e combinada com o fato de que a incidência de diabetes tipo 2 também está aumentando, parecia razoável que cada aumento poderia ter a mesma causa final — o aumento da hiperinsulinemia em geral na população", disse Stern.
Stern disse que ele organizou o estudo alguns meses atrás, quando uma empresa de consultoria de saúde cuidado pediu-lhe para fornecer informações sobre o autismo.
"Na preparação para esta entrevista, eu descobri que o diabetes gestacional foi o mais importante fator de risco materno identificado para o autismo, mas que nenhum mecanismo conhecido poderia ser responsável por isso", Stern lembrou. — Foi quando eu percebi que isso não era óbvio para os outros no campo científico. Então decidi escrever isto com a esperança de que os clínicos possam se tornar conscientes disso e tratar seus pacientes de acordo."
Ao escrever o artigo, Stern disse que aprendeu que o papel da insulina na função cognitiva está se tornando mais amplamente aceita.
"Eu estava verificando se a insulina era conhecida por afetar a função sináptica, e aprendi que a aplicação nasal de insulina já está sendo testada para ver se é benéfica para outros casos, como pacientes de Alzheimer e até de esquizofrenia".
Stern disse que também descobriu que estudos preliminares indicam que dietas baixas em carboidratos foram terapêutica para algumas pessoas com autismo e Asperger.
"Baseado no que já está na literatura, a insulina tem de ser levada a sério como um elemento causador de autismo", disse Stern. "Espero que os médicos possam dar o próximo passo e estabelecer parâmetros de um rigoroso teste para determinar a melhor forma de usar essa informação para beneficiar os pacientes".
Da Agência O Globo

quinta-feira, 20 de outubro de 2011

Projeto institui o Dia do Autismo em Roraima

Projeto institui o Dia do Autismo em Roraima
Foi aprovado nesta terça-feira, 18, no plenário da Assembleia Legislativa (ALE-RR), o Projeto de Lei que institui o dia 15 de abril como o Dia da Conscientização sobre o Autismo em Roraima. Por 18 votos favoráveis, a medida de autoria do deputado Rodrigo Jucá (PMDB-RR), segue agora para o Executivo para ser sancionada.

O projeto irá promover a discussão e a criação de políticas públicas de inclusão e apoio às pessoas com a síndrome, além de desmistificar o tema através de palestras e campanhas que ampliarão o conhecimento da sociedade sobre o assunto, beneficiando dessa forma, milhares de famílias no Estado.
“Lamentavelmente, pela falta de esclarecimento e de campanhas educativas sobre o assunto, muitos autistas são privados do convívio social, do acesso à escola, à saúde e ao mercado de trabalho. Através da criação do dia estadual da conscientização sobre o autismo, governos, pais e sociedade organizada, poderão discutir políticas públicas para melhoria da qualidade de vida dos portadores de autismo, ampliando seus direitos e desmistificando o tema em Roraima” explicou Rodrigo.
Apesar de afetar milhares de crianças no mundo, o autismo, como é chamado o Transtorno Global do Desenvolvimento (TGD) permanece na sombra do desconhecido.  Para o parlamentar, a aprovação do Projeto de Lei representa um passo importante no desafio atual que é oferecer aos que possuem a síndrome, meios específicos que atendam suas necessidades e contribuam para a inclusão do autista na sociedade.
Sobre o autismo
Os aspectos básicos da síndrome do autismo são as dificuldades na comunicação, pouca interação social e o comportamento anticonvencional. Sabe-se muito pouco sobre a origem do distúrbio. Também não há cura, mas através de um processo terapêutico constante, pode haver grandes resultados no desenvolvimento da inteligência e do convívio social. No Brasil, apesar de não haver estatísticas precisas, estima-se que existam em torno de 600 mil pessoas afetadas pela síndrome do espectro autista.
Acredita-se que a melhor forma de tratar o autismo é o diagnóstico precoce e a observação dos sintomas em crianças ainda antes dos três anos de idade, mas para isso é necessário que haja campanhas que ampliem o conhecimento da sociedade sobre o assunto.
Jéssica Ferri

Fonte: Roraima em Foco

quarta-feira, 19 de outubro de 2011

Lançamento Livro o Bebê e seus interpretes

Professoras da Fonoaudiologia lançam livro


13 de outubro de 2011

As professoras Sirley Alves da Silva Carvalho e Erika Parlato-Oliveira, do Departamento de Fonoaudiologia, lançam o livro “O bebê e seus intérpretes: clínica e pesquisa”, nesta quarta-feira, 19 de outubro, às 19h na sala Amilcar Vianna (34) da Faculdade de Medicina.
A publicação é organizada pelos franceses Marie Christine Laznik (psicanalista do Centre Alfred Binet e co-coordenadora na França da Associação Preaut) e David Cohen (professor titular da Psiquiatria Infantil da Faculdade de Medicina Groupe Hopitalier Pitie-Salpetriere).
Sirley Alves e Erika Parlato são autoras, respectivamente, dos capítulos “Desenvolvimento da linguagem e da audição em crianças usuárias de aparelho de amplificação sonora individual: estudo de caso” e “A clinica de linguagem de bebê: um trabalho transdisciplinar.
No lançamento, será exibido o filme Bébés, produção francesa de 2010, do diretor Thomas Balmès. A obra propõe uma reflexão sobre os primeiros meses de vida de quatro bebês, em quatro países diferentes. A sessão será seguida de discussão sobre a obra.
(Atualizada em 19/10/2011 às 16h29)

Informe da Camara Municipal de BH sobre Autismo.

Projeto prevê mais direitos à pessoa com autismo

 
Terça-feira, 18 Outubro, 2011
Comissão é favorável ao PL que reconhece autismo como deficiência
Projeto prevê mais direitos à pessoa com autismo
Comissão de Orçamento e Finanças Públicas da CMBH aprova Projeto de Lei 1794/2011, do vereador Leonardo Mattos (PV), que reconhece a pessoa com autismo como pessoa com deficiência, garantindo a ela os direitos específicos previstos em lei. Presentes na reunião desta terça-feira, 18/10, o presidente da comissão Adriano Ventura (PT), relator do projeto, e o vereador Divino Pereira (PMN) parabenizaram a iniciativa e o teor do PL. “É um projeto extremamente importante que – analisado sob a perspectiva desta comissão – não reflete gastos diretos ao município, podendo ser custeado por convênios”, pondera Adriano Ventura.
Na mesma perspectiva da legislação vigente para pessoas com necessidades especiais, o PL prevê a oferta de tratamento para o autismo em centros de atendimento integrado de saúde e educação a serem mantidos em todas as regiões do município; propõe a realização gratuita de testes para diagnóstico da deficiência, principalmente em crianças de 14 a 20 meses de idade, e a disponibilização de todo o tratamento especializado. O projeto ainda prevê que o município se comprometa a incentivar o desenvolvimento de pesquisas e projetos multidisciplinares em universidades sediadas na capital, com foco no autismo e na melhoria da qualidade de vida dessas pessoas.
De acordo com o autor do PL, “o autismo é uma ‘inadequacidade’ no desenvolvimento que se manifesta de maneira grave por toda a vida. É incapacitante e aparece tipicamente nos três primeiros anos de vida”. Segundo a ASA - Associação Americana de Autismo (Autism Society of American), os sintomas são causados por disfunções físicas do cérebro, incluindo distúrbios no desenvolvimento de habilidades físicas, sociais e linguísticas. Diante de muitos mitos e preconceitos sobre a deficiência, o vereador Leonardo Mattos propõe uma alternativa: “é nossa intenção que todos possam olhar a pessoa com autismo com mais respeito, responsabilidade e dinamismo, abrindo espaços, oferecendo oportunidades, proporcionando igualdade de condições, dignidade e qualidade de vida.

domingo, 16 de outubro de 2011

Revista Crescer Abril/2011 As conquistas de uma criança autista

Receber a notícia de que o filho é autista transforma as suas perspectivas de presente e futuro, mas é a partir dessa mudança que você pode apresentar um novo mundo para a criança. Conheça o dia a dia de uma família em que uma das filhas gêmeas tem o distúrbio


Ana Paula Pontes • Fotos Raoni Maddalena


Raoni Maddalena
“Aqui mora uma família feliz.” As palavras talhadas na plaquinha de madeira que enfeita a porta do apartamento da pedagoga Luciana Nassif, 39 anos, e do comerciante Marcos Antonio Cavichioli, 46, em São Paulo, antecipam o clima que eu iria encontrar na casa dessa família, apesar da avalanche de sentimentos que tomou a todos nos últimos anos. Com um sorriso no rosto, um tererê ornando os longos cabelos lisos e castanhos, quem me recebe é uma das gêmeas do casal, Isabela, 8 anos. Assim que entro, sou convidada a conhecer sua irmã. No quarto, com a babá, Mariana se mostrou indiferente com a minha chegada. Mesmo com a insistência da mãe para que se virasse para mim, continuou com um olhar cabisbaixo. Mari Mari, como é carinhosamente chamada, é autista.
Ela está aprendendo agora a demonstrar e a receber carinho, por gestos. Mari Mari não fala. Ela tem um grau severo do transtorno do espectro autista, termo que os especialistas usam para se referir aos diversos graus que envolvem o autismo. Fica mais fácil entender se comparamos a um dégradé, desde cores muito escuras, em que se encontram os casos mais graves, até as cores claras. Por isso cada criança tem um ritmo próprio de desenvolvimento. Para Mari Mari, que estaria na parte escura deste dégradé, é preciso ensinar o que parece tão corriqueiro. Há um ano, e pela primeira vez, a menina abraçou a mãe – um dos pilares do comportamento autista é a dificuldade de interação com o outro. É um abraço “adaptado”. Ela aceita o carinho, mas não cruza as mãos por trás das costas da pessoa. Em vários momentos da entrevista, ela corria, na ponta dos pés (um comportamento que começou aos 5 anos) para o colo da mãe, sorria, trazia o boneco predileto, gargalhava. O contato visual, o beijo, que não é aquele estalo no rosto, mas uma encostadinha apenas, demonstrações de interesse pela irmã e o sorriso presente no rosto eram cenas apenas sonhadas pela família até pouco tempo.
A mãe me conta, em tom de orgulho, as recentes conquistas da filha. Mari Mari não se incomoda mais se uma criança chega perto dela no parquinho, mesmo que prefira estar só, e ganhou autonomia para comer sozinha e “pedir” o que tem vontade, como quando leva o litro de leite até a mãe para que ela o esquente. “Pode parecer pouco, mas esse é um grande avanço”, diz Luciana. Não, não é fácil ter um filho autista. Mas o diagnóstico não é o fim, e sim um novo começo na vida de toda a família.
“Quando questionei o neurologista que a acompanhava sobre a possibilidade dela ser autista, ele disse que eu não sabia o que era uma criança com o transtorno. Nunca vou me esquecer disso.” Luciana, mãe de Isabela e Mari Mari
  Onde tudo começa?
A ciência não descobriu, até hoje, a causa da doença. O que os especialistas concordam é a forte influência da genética na alteração do funcionamento do cérebro do autista. Alguns genes – e muitos foram identificados – podem ou ser herdados mutados dos pais, algo raro, ou sofrer novas mutações durante a formação do embrião. Mas não para por aí. Várias teorias são relacionadas a todo momento com o aparecimento do transtorno, mas nem todas são referendadas pelos médicos e nada é conclusivo. Alimentação, vacinação, infecções na gravidez e até intercorrências no parto ou nos primeiros anos de vida integram essa lista. As pesquisas relacionam até fertilização in vitro e prematuridade, como é o caso das gêmeas, que nasceram de 32 semanas.
Isabela saiu da maternidade em cinco dias. A irmã, nos mais de três meses em uma UTI neonatal, passou por uma cirurgia cardíaca e diversos exames, inclusive para detectar a existência de alguma síndrome por ter nascido com as orelhas mais baixas e os dedos levemente flexionados. Mari Mari, segundo os médicos, tinha atraso no desenvolvimento neuropsicomotor.
Mesmo acompanhada por uma equipe multidisciplinar desde os seis meses, não mostrava avanços. “Ela gostava de ficar sozinha na escola e, aos 2 anos, teve a primeira convulsão (problema que afeta 25% dos autistas).” Aos 3, os atrasos ficaram evidentes e ela passou a balançar as mãos quando ficava nervosa. “Quando questionei o neurologista que a acompanhava sobre a possibilidade de autismo, ele disse que eu não sabia o que era uma criança com o transtorno. Nunca vou me esquecer disso”, diz. A avó materna das meninas, que desconfiava da existência de um problema maior, mostrou a Luciana uma reportagem sobre autismo. Depois de ler, ela agendou uma consulta com um dos especialistas entrevistados. Em 40 minutos e aos 4 anos e 7 meses, a família soube que Mari Mari era autista.
Essa trajetória desgastante não é incomum. Como não há um exame que detecte o transtorno, o diagnóstico é clínico, feito com base no comportamento da criança. E pode levar muito tempo para chegar a uma conclusão. “O ideal é descobrir o transtorno com cerca de 1 ano, quando os tratamentos dão resultados melhores”, diz Antonio Carlos de Farias, neurologista infantil do Hospital Pequeno Príncipe (PR), pesquisador e coautor do livro Transtornos Mentais em Crianças e Adolescentes: Mitos e Fatos (Ed. Autores Paranaenses). Se identificado nessa fase, ou até os dois anos, a chance de a criança falar é de 75%. “No Brasil, estima-se que existam 1 milhão e meio de autistas, e menos de 5% recebem a assistência adequada”, diz Estevão Vadasz, psiquiatra, que estuda o assunto desde 1978, coordenador do Programa dos Transtornos do Espectro Autista, referência no país, do Instituto de Psiquiatria do Hospital das Clínicas da USP. Segundo o Ministério da Saúde, uma a cada mil crianças é autista no Brasil. Dados internacionais, porém, mostram que essa incidência é de uma para cada 110.

Autismo: entrevista com a defensora pública Renata Tibyriçá Programa Papo de mâe


Oi, pessoal! Estamos aqui para dar continuidade ao papo sobre autismo. O programa estava muito rico em informações, mas 1 hora de programa é sempre muito pouco para falar sobre tudo. É justamente para evitar que trechos e informações relevantes se percam que temos o blog, que funciona como uma “extensão” do programa. A seguir vocês conferem a íntegra da entrevista que Mariana Kotscho e Roberta Manreza fizeram durante o programa com a defensora pública Renata Tibyriçá*.
 Roberta Manreza: Quais os direitos das pessoas com autismo?
Renata Tibyriçá: As pessoas com autismo,sejam crianças, adolescentes ou adultos, têm os mesmos direitos que qualquer outra pessoa, só que eles têm uma proteção a mais. As crianças e os adolescentes têm a proteção do Estatuto da Criança e do Adolescente, que é uma proteção específica para a criança que está em desenvolvimento, que necessita de escola, saúde, atendimento especializado. Inclusive, aquela criança que tem uma necessidade especial ela tem direito, sim, ao atendimento especializado e adequado para a situação específica dela. E após os 18 anos, continua não sendo só protegida pelas nossas leis que são para todos nós, mas também pela lei que defende os direitos das pessoas com deficiência. Isso é até uma questão um pouco discutível, mas as pessoas que têm autismo, elas têm uma deficiência, elas são especiais, elas têm algumas diferenças.
Mariana Kotscho: Quer dizer, então, que ele pode, no ônibus, sentar no lugar para deficiente?
Renata: Exatamente. E isso é uma dificuldade das pessoas entenderem porque olhando para eles, aparentemente, eles não têm nenhum problema de desenvolvimento, mas eles têm. Eles têm necessidades especiais e que precisam ser protegidas e precisam ser respeitadas pelas pessoas. O problema é que as pessoas não entendem isso. Eles têm direito, por exemplo, a parar na vaga especial, têm direito ao bilhete único [especial]. A questão do transporte é até mais complexa, porque muitos têm dificuldades em entrar num transporte coletivo e eles precisariam, na verdade, de um transporte especializado, adequado às necessidades deles. Como existe, por exemplo, a "Atende", poderia existir um outro tipo de serviço fornecido tanto pela prefeitura quanto pelo Estado e que atendesse a crianças, adolescentes e adultos com autismo.
Mariana – Isso aqui em São Paulo, mas como é que fica a situação nos outros estados?
Renata – Isso é em todo Brasil, a lei é federal, tanto o Estatuto da Criança e do Adolescente quanto a lei da pessoa com deficiência, são leis federais aplicadas em qualquer cidade, em qualquer estado e esses direitos devem ser respeitados.
Roberta: Você falou que cuida de muitos processos de pessoas com autismo. Além dessa questão do transporte, quais as outras dificuldades que o autista enfrenta?
Renata – A grande dificuldade é de receber o atendimento adequado ou até mesmo ter o direito à educação garantida. Mas o estado de São Paulo, hoje, e acredito que em muitos estados do Brasil, não dispõe de escolas que tenham pessoas especializadas e capacitadas para atender pessoas com autismo. E isso é um problema grave. O estado de São Paulo, especificamente, faz convênios com algumas entidades.
Mariana: Até porque tem a lei da inclusão.
Renata: Nós temos vários casos, inclusive. Eu tenho um caso específico de Síndrome de Asperger em que o menino, que tem 13 anos, foi encaminhado para uma escola regular do Estado e a escola não dispõe de qualquer profissional ou trabalho específico. Nós, então, tivemos que pedir uma escola particular; o estado não se dispôs a pagar. Então, tivemos que entrar com uma ação para garantir esse direito dele.
Mariana: E conseguiu?
Renata: Conseguimos o direito, ele foi finalmente matriculado, demorou um tempo para o estado cumprir, mas conseguimos. A decisão é de outubro e o estado cumpriu agora, mas, graças a Deus, no início do ano letivo, e agora ele vai receber atendimento. Quem tem Síndrome de Asperger tem um potencial cognitivo para poder ter uma educação, claro que tem que ser especializada, mas uma educação regular, tem condições de cursar a faculdade, inclusive.
Mariana: E como fica o mercado de trabalho?
Renata: A grande dificuldade que nós enfrentamos, além, obviamente, daqueles que estão recebendo diagnóstico precoce é daqueles que não receberam o diagnóstico no momento correto, não receberam nenhum atendimento correto e hoje têm 20, 30 anos e se tornaram autistas com alto grau de severidade, de agressividade por falta de tratamento. Por isso, não conseguem trabalhar, dependem dos pais e os pais vão envelhecendo.
Mariana: Se tem o diagnóstico e não tem a condição de trabalho, pode ter o direito à aposentadoria?
Renata: Na verdade, não é aposentadoria; é um benefício da lei de assistência social que é concedido apenas para aqueles cuja renda familiar per capita seja até ¼ do salário mínimo, ou seja, tem que ser absolutamente miserável. E a maior parte não se enquadra nessa situação, e aí, com isso, fica sem ter condições. Acho que a gente tem muito para avançar nessa área em termos de políticas públicas que precisam ser feitas por todos os estados do país para poder garantir o direito, tanto daqueles que estão em idade escolar como dos que já são adultos e também daqueles que estão por vir.
Roberta: A escola pública não pode recusar uma criança?
Renata: Não pode, o problema é que a escola pública não tem estrutura para receber uma criança com autismo. Ela não poderia recusar, só que o grande problema é colocar uma criança com autismo numa escola regular sem ter profissionais capacitados que tenham condições de atender; é quase um crime.
Roberta: Qual é a saída?
Renata: São encaminhados ofícios para a Secretaria da Saúde. Aqui em são Paulo tem acontecido isso porque tem uma ação judicial coletiva para indicar um local e eles estão indicando locais que são conveniados, particulares, porque eles reconhecem que não dispõem de locais públicos para o atendimento.
Júlio (participante do Papo de Mãe): Eu tenho convênio particular, da empresa. A partir dos 18 anos, meu filho vai continuar dependente para a vida inteira enquanto eu tiver convênio?
Renata: Normalmente, para continuar como dependente, ele teria que ser muitas vezes, interditado, porque ele precisaria demonstrar de alguma forma que ele não tem capacidade. Pode ser que o plano de saúde aceite um laudo médico que indique isso, mas em geral, eles exigem a interdição para poder comprovar a incapacidade.
Mariana: O que é esse processo de interdição?
Renata: É um processo judicial que tem que ser proposto via um advogado ou defensor público, caso não tenha condições de pagar um advogado, e nesse processo vai ser verificada a capacidade dele em entender os atos da vida civil, ou seja, se ele tem condições de contratar, de cuidar da vida dele sozinho ou se ele depende de alguém, aí vai ser definido um curador para ele, que pode ser o pai ou a mãe, e a partir disso ele é considerado incapaz total ou parcialmente.
Mariana: A interdição pode ser feita em qualquer idade ou tem que ser feita após os 18 anos?
Renata: Após os 18 anos, pois antes disso, ele ainda é dependente dos pais, já que eles têm o poder familiar, então é presumida a dependência dele.
*Renata Tibyriçá é defensora pública do Estado de São Paulo e atua na defesa dos direitos dos autistas. Participou com especialista convidada pelo Papo de Mãe sobre autismo exibido em 03.04.2011.

Brasileiros mantém grupo grátis de apoio a famíliares de autistas em NJ


Fundado em janeiro desse ano, o grupo de apoio a pais, guardiães e profissionais que lidam com indivíduos autistas continua atendendo a comunidade residente na região norte de New Jersey. Uma vez por mês, a profissional paulista Wilma de Andrade coordena as reuniões na sede do Projeto Mantena, na 109 Monroe St., sala 203, no Bairro do Ironbound, em Newark – NJ. Durante os encontros, grátis e abertos a todos os interessados, são discutidos assuntos relacionados ao Autismo, uma condição neurológica, sem origens ainda determinadas, que afeta cada vez mais crianças na comunidade brasileira. Em virtude disso, é fundamental a participação de todos, famílias afetadas pela desordem ou não, para o sucesso do grupo de apoio. 

Autistas em oficina de Jardinagem em Ironbound

O evento é aberto a todos os interessados e terá lugar na sede da entidade, em Newark (NJ)
No domingo, 17 de julho, das 3:00 pm às 6:00 pm, a administração da Brazilian International Association of Autism (BIA) realizará uma oficina de jardinagem voltada aos portadores da síndrome, na sede da entidade, na 255 Walnut St., em Newark – NJ. O evento será ao ar livre e estará aberto a todos os interessados.
Já no sábado, 23 de julho, das 7:00 pm às 11:00 pm, a BIA organizará um churrasco beneficente em prol da associação no município de Hillside (NJ), na 375 Yale Avenue. O ingresso custa US$ 20 e inclui refrigerantes. Durante o evento serão realizados bingo, sorteios e outras atividades. As reservas dos ingressos podem ser feitas através do tel.: (973) 466-3858.
O Autismo é uma desordem na qual uma criança jovem não pode desenvolver relações sociais normais, se comporta de modo compulsivo e ritualista. Sinais normalmente aparecem no primeiro ano de vida e sempre antes dos três anos de idade. A desordem é 2 a 4 vezes mais comum em meninos do que em meninas.
A causa do autismo não é conhecida. Estudos de gêmeos idênticos indicam que a desordem pode ser, em parte, genética, porque tende a acontecer em ambos os gêmeos se acontecer em um. Embora a maioria dos casos não tenha nenhuma causa óbvia, alguns podem estar relacionados a uma infecção viral (por exemplo, rubéola congênita ou doença de inclusão citomegálica), fenilcetonúria (uma deficiência herdada de enzima), ou a síndrome do X frágil (uma dosagem cromossômica).
Uma criança autista prefere estar só, não forma relações pessoais íntimas, não abraça, evita contato de olho, resiste às mudanças, é excessivamente presa a objetos familiares e repete continuamente certos atos e rituais. A criança pode começar a falar depois de outras crianças da mesma idade, pode usar o idioma de um modo estranho, ou pode não conseguir - por não poder ou não querer - falar nada. Quando falamos com a criança, ela frequentemente tem dificuldade em entender o que foi dito. Ela pode repetir as palavras que são ditas a ela (ecolalia) e inverter o uso normal de pronomes, principalmente usando o tu em vez de eu ou mim ao se referir a si própria.
Sintomas de autismo em uma criança levam o médico ao diagnóstico, que é feito através da observação. Embora nenhum teste específico para autismo esteja disponível, o médico pode executar certos testes para procurar outras causas de desordem cerebral.
Uma variante do autismo, às vezes chamada de desordem do desenvolvimento pervasiva de início na infância ou autismo atípico, pode ter início mais tardio, até os 12 anos de idade. Assim como a criança com autismo de início precoce, a criança com autismo atípico não desenvolve relacionamentos sociais normais e frequentemente apresenta maneirismos bizarros e padrões anormais de fala. Essas crianças também podem ter síndrome de Tourette, doença obsessivo-compulsiva ou hiperatividade. Assim, pode ser muito difícil para o médico diferenciar entre essas condições.
Mais informações sobre os eventos realizados pela BIA podem ser obtidas através da terapeuta Wilma de Andrade, especializada em autismo, tel.: (201) 246-0089 ou e-mail: andradewilma@netzero.net 

quinta-feira, 13 de outubro de 2011

CJ Ramones Curiosidades

Em entrevista ao The Great Southern Brainfart, o baixista CJ Ward, conhecido popularmente como CJ Ramone, falou sobre o convite que teria recebido para substituir Jason Newsted no Metallica.
"Fui convidado não apenas uma, mas duas vezes (risos). Primeiro, quando Jason saiu. Passou um tempo e eles não conseguiam encontrar ninguém e entraram em contato novamente. Mas meu filho tinha sido diagnosticado com Autismo à época, não poderia abandoná-lo. Johnny (Ramone) foi quem me sugeriu, já que ele era muito amigo de Kirk Hammett. Falei com o médico do meu filho, expliquei a oportunidade e disse que poderia levar a família para a estrada, até mesmo contratar uma enfermeira. Ele respondeu que o menino precisava acordar no mesmo lugar todos os dias, ter refeições em horários marcados, ir à escola e conviver com outros garotos. Qualquer coisa diferente seria prejudicial. Fiquei honrado com o convite, mas não poderia aceitar. A parte bela da história é que meu filho frequenta escolas normais e até está começando uma banda com amigos. Sua evolução é incrível. Não estou querendo levar crédito, várias pessoas o ajudaram no caminho. Mas se não estivesse por perto, não sei o que teria acontecido com ele, então isso justifica minha decisão. Teria sido demais tocar no Metallica depois de ser um Ramone. Seria a vida perfeita (risos). Sempre fui um grande fã de Heavy Metal, o Black Sabbath é minha banda favorita de todos os tempos. Mas sem remorsos ou arrependimentos".
via Blog do Van Halen

quarta-feira, 12 de outubro de 2011

http://www.autismsupportnetwork.com/resources/autism-grants-united-states

Bolsas de autismo nos Estados Unidos 


O autismo é uma condição de cara todos os lados. The following are various grants available for families and individuals residing in the United States. A seguir, são várias bolsas disponíveis para famílias e indivíduos residentes nos Estados Unidos. Clicking on the name of the grant-giving organization will take you to the designated website. Clicando sobre o nome da organização de doação irá levá-lo para o site designado. If you know of other grant-giving organizations in the US or elsewhere. .
Autism Support Network does not endorse or validate the listings hereunder, which are presented for informational purposes only. Rede de Apoio ao Autismo não endossa ou validar a lista abaixo, que são apresentados apenas para fins informativos. Individuals should contact the respective organizations directly with any questions. Indivíduos devem contactar as respectivas organizações diretamente com todas as perguntas.


ACT Today! Hoje ACT! Grant Program Grant Program

ACT Today! Hoje ACT! is a national nonprofit 501(c)(3) organization whose mission is to raise awareness and provide treatment services and support to families to help their children with autism achieve their full potential. é nacional sem fins lucrativos 501 (c) (3), cuja missão é sensibilizar e fornecer serviços de tratamento e apoio às famílias para ajudar seus filhos com autismo atingir seu pleno potencial.
Grant Program Grant Program
The ACT Today! A ACT Hoje! board distributes grants quarterly each year. bordo distribui subsídios a cada ano trimestral. To apply for a grant, please use the following timeline: Para se candidatar a uma bolsa, por favor use o seguinte cronograma:
Quarter -- Applications acceptance dates -- Notification date Trimestre - a data de notificação - Aplicações datas de aceitação
1st quarter -- Jan. 1-30 -- March 15th 1 º trimestre - 01-30 janeiro - março 15
2nd quarter -- April 1-30 -- June 15th 2 º trimestre - 01-30 abril - junho 15
3rd quarter -- July 1-31 -- September 30th 3 º trimestre - 01-31 julho - 30 setembro
4th quarter -- October 1-31 -- December 15th 4 º trimestre - 01-31 outubro - 15 de dezembro
Each grant submission will be reviewed in 2 subsequent board reviews. Cada proposta de subvenção serão revistos em 2 comentários bordo posterior. Letters are sent via US Mail to all applicants by the date listed below notifying individuals of their grant status. Cartas são enviadas via Correio dos EUA para todos os candidatos até a data abaixo indivíduos notificando do seu estado de subvenção.
ACT Today! Hoje ACT! requires each grant recipient to complete a short questionnaire 3 months and 6 months after receiving their grant. exige que cada bolseiro para preencher um pequeno questionário 3 meses e 6 meses após receber a sua subvenção. This may be done via email or US Mail. Isso pode ser feito via e-mail ou Correio dos EUA. The questionnaires are valuable tools for the organization's internal goal and policy making. Os questionários são ferramentas valiosas para o gol interna da organização e elaboração de políticas.
Download the Grant Application Baixe o pedido de subvenção
To download the ACT Today! Para fazer download do ACT Hoje! Grant Application, please click here. De candidatura, por favor clique aqui.
FAQs FAQs
Please click here to read our Frequently Asked Questions regarding the grant application and process. Por favor, clique aqui para ler as nossas Perguntas Frequentes sobre o pedido de subvenção e de processo.
Autism Care and Treatment Today! Cuidados com o autismo e Tratamento Hoje!
19019 Ventura Blvd, Ste. 19019 Ventura Blvd, Ste. 200 200
Tarzana, CA 91356 Tarzana, CA 91356
1-877-9ACT-TODAY (1-877-922-8863) 1-877-9ACT HOJE (1-877-922-8863)
www.act-today.org www.act-today.org
Email: info@Act-Today.org E-mail: info@Act-Today.org

Asperger Association of New England Family Grant Programs Asperger Associação da Nova Inglaterra Programas Bolsa Família

Many children with Asperger's Syndrome could benefit greatly from services and programs which can incur significant financial expense for the average family. Muitas crianças com Síndrome de Asperger podem se beneficiar enormemente de serviços e programas que podem incorrer em despesas financeiras significativas para a família média. AANE has the pleasure of providing easy access to financial assistance for families WHO LIVE IN NEW ENGLAND and need a little help paying for these services. AANE tem o prazer de oferecer fácil acesso à assistência financeira para as famílias que vivem na Nova Inglaterra e precisar de uma ajudinha pagando por esses serviços.

The Phillips Foundation: A Fundação Phillips:

+Families living in Plymouth County only + As famílias que vivem em Plymouth County apenas
+Grants between $50 and $1000 + Grants entre US $ 50 e US $ 1000
+No income cut-offs, but intended for low to moderate income households + No cut-offs de renda, mas destinado a famílias de baixa a moderada de renda
For more information or to obtain applications, visit www.aane.org or call 617-393-3824 begin_of_the_skype_highlighting 617-393-3824 end_of_the_skype_highlighting begin_of_the_skype_highlighting 617-393-3824 end_of_the_skype_highlighting. Para mais informações ou para obter aplicações, visite www.aane.org ou ligue para 617-393-3824 617-393-3824 begin_of_the_skype_highlighting end_of_the_skype_highlighting begin_of_the_skype_highlighting end_of_the_skype_highlighting 617-393-3824. 85 Main St., Suite 101, Watertown, MA 02472. 85 Main St., Suite 101, Watertown, MA 02472.

Angel Autism Network Anjo Autism Network

Families living in Wisconsin may apply for up to $500 per year in support of medical treatments for their child with an autism spectrum disorder. Famílias que vivem em Wisconsin pode pedir até US $ 500 por ano em apoio a tratamentos médicos para os seus filhos com um transtorno do espectro do autismo. Funds from the grant go directly to the medical provider (and not to the family). Fundos da concessão ir diretamente para o médico (e não à família).
Grants will be given on a quarterly basis and will be issued in the months of March, June, September and December; once your application is reviewed, you will be contacted regarding the grant status. Subsídios, será dada em uma base trimestral e será emitido no mês de março, junho, setembro e dezembro; uma vez que sua aplicação é revisto, você será contactado sobre o status da subvenção.
Grants will only be accepted: As subvenções só serão aceitos:
Jan. 1st to Feb. 1st 1st quarter (Jan, Feb, March) 1 janeiro - 1 fevereiro 1 º trimestre (Jan, Feb, de Março)
Apr. 1st to May 1st 2nd quarter (April, May, June) 01 de abril a maio 1 º trimestre 2 (Abril, Maio, Junho)
July 1st to Aug. 1st 3rd quarter (July, Aug, Sept) 01 de julho para agosto 1 3 º trimestre (julho, agosto, setembro)
Oct. 1st to Nov. 1st 4th quarter (Oct, Nov, Dec) 01 de outubro para novembro 1 4 º trimestre (outubro, novembro, dezembro)

Autism Cares Autismo Cares

Autism Cares helps families affected by autism to cover costs associated with critical living expenses such as; housing, utilities, car repair, daycare, funeral expenses, and other essential items on a case-by-case basis. Autismo Cares ajuda as famílias afetadas pelo autismo para cobrir os custos associados com o custo de vida críticas, tais como, habitação, serviços públicos, de reparação de automóveis, creche, funeral, e outros itens essenciais em uma base caso a caso.
Families must complete an online application and identify vendor(s) to be covered by the award. Famílias devem preencher um formulário online e identificar fornecedor (s) a ser coberto pelo prêmio. Support awards cannot exceed a total of $1,500 per family. Prêmios apoio não pode exceder um total de US $ 1.500 por família.
Eligible families have a child (children) diagnosed with Autism Spectrum Disorder, an income of $65,000 or less, and experienced one or more qualifying events in the previous 90 days. Famílias elegíveis têm uma criança (s) diagnosticada com Transtorno do Espectro do Autismo, uma renda de 65.000 dólares ou menos, e sofreram um ou mais eventos de qualificação nos últimos 90 dias. Qualifying events are: Eventos de qualificação são:
+Natural disaster: fire, flood, hurricane, tornado, severe storm or earthquake + De desastres naturais: incêndio, inundação, furacão, tornado tempestade, grave ou terremoto
+Death or critical illness in the nuclear family + Morte ou doença grave na família nuclear
+Victim of a violent crime + Vítima de um crime violento
+Loss of home through foreclosure, eviction or natural disaster + Perda de casa através do despejo de encerramento, ou de desastres naturais
+Termination of employment for the primary income-earner within previous 90 days. + Encerramento de emprego para a primária do rendimento assalariado dentro de 90 dias anteriores.
Click Here to Apply Online Clique aqui para solicitar on-line

Autism Family Resources Grant Autismo Família Recursos Grant

One-time $500 grants are awarded to families in financial need; household income may not exceed annual income cannot exceed $50,000 per year. One-time $ 500 bolsas são concedidas às famílias em necessidade financeira, a renda familiar não pode exceder renda anual não pode ultrapassar US $ 50.000 por ano. All funds awarded are paid directly to the vendor or service provider to pay for therapy equipment, safety equipment or services. Todos os fundos concedidos são pagos diretamente ao prestador de serviços ou fornecedor de pagar para a terapia equipamentos de segurança, equipamentos ou serviços.
Email your request for an application along with your name, address, phone number and email address to us at info@autismfamilyresources.org . E-mail o seu pedido de aplicação junto com o seu número, nome, endereço, telefone e endereço de e-mail para info@autismfamilyresources.org .
We will email the application file back to you. Nós lhe enviaremos o arquivo do aplicativo de volta para você.

Family First – National Autism Association Primeira família - Associação Nacional de Autismo  

The divorce rate within the autism community has been creeping up for quite some time. A taxa de divórcio no seio da comunidade autismo foi subindo por algum tempo. With the explosion in autism cases comes many more challenges with couples in our community. Com a explosão nos casos de autismo vem muitos desafios mais com casais em nossa comunidade. Family First was launched to provide couples within our community a way to access counseling. Primeira Família foi lançado para fornecer casais na nossa comunidade uma forma de acessar aconselhamento.
GOALS: METAS:
The four goals of the Family First Program are to: As quatro metas do Programa Primeira Família são:
1. 1. Provide couples with access to counseling Aos casais com acesso a aconselhamento
2. 2. Provide couples with financial aid for counseling Aos casais com a ajuda financeira para o aconselhamento
3. 3. Raise awareness about the divorce rates within our community and around the country Aumentar a conscientização sobre as taxas de divórcio dentro de nossa comunidade e em todo o país
4. 4. Provide a solid support system for all autism couples Fornecer um sistema de suporte sólido para todos os casais autismo
By focusing on these four objectives, our primary goal is to keep autism families together, which will open the door to a slew of other benefits for families including two-person income potential, less stress on just one parent, more time dedicated to therapy and treatments for the child, and the list goes on. Centrando-se sobre estes quatro objectivos, o nosso principal objetivo é manter as famílias autismo juntos, o que abrirá a porta para uma série de outros benefícios para as famílias, incluindo duas pessoas potencial de rendimento, menos stress em apenas um dos pais, mais tempo dedicado ao tratamento e tratamentos para a criança, ea lista continua.
Maximum amount we can award per couple is a one-time grant of $500. Montante máximo que podemos prêmio por casal é um subsídio único de 500 dólares.
To download the Family First Grant Application, click here. Word Doc | PDF Para baixar o aplicativo da Família Grant Primeiro, clique aqui. Word Doc | PDF

The Autism Grant A Grant Autismo

The Autism Grant is a tuition scholarship for financially disadvantaged children with a diagnosis of autism spectrum disorder. A Grant O autismo é uma bolsa de estudos aula para as crianças desfavorecidas financeiramente com um diagnóstico de transtorno do espectro do autismo. Early diagnosis and treatment, between the ages of 2 to 5, is crucial to making a long-term impact on a child's ability to achieve his or her full potential. Diagnóstico precoce e tratamento, entre as idades de 2 a 5, é crucial para fazer um impacto a longo prazo sobre a capacidade de uma criança para atingir seu pleno potencial.
The Autism Grant provides full or partial tuition scholarships to the Dominion School for Autism located in Richmond, Virginia. A Grant autismo fornece bolsas de estudo mensalidade integral ou parcial para o Dominion Escola de Autismo localizado em Richmond, Virginia. The Dominion School for Autism is a 501(c)(3) public charity. A Escola Dominion para o autismo é uma 501 (c) caridade (3) público. The Autism Grant accepts all sizes of donations to help children in need. A Grant autismo aceita todos os tamanhos de doações para ajudar crianças carentes.

Autism Help Network Rede Ajuda autismo    

The Autism Help Network offers grants and scholarships to families who are experiencing financial difficulty in obtaining schooling, therapy, medical and biomedical treatment. A Rede de Ajuda Autismo oferece bolsas e auxílios para as famílias que estão enfrentando dificuldades financeiras na obtenção de escolaridade, terapia, tratamento médico e biomédico. Our grants are funded by our sponsors and are offered on a quarterly basis. Nosso bolsas são financiadas pelos nossos patrocinadores e são oferecidos em uma base trimestral.
Scholarships: The Autism Help Network Scholarship Program is for helping families obtain autism specific schooling, extended school year programs, or private schools developing autism programs; grants are up to $1,000 to provide therapy and non-experimental biomedical treatments to children who have autism. Bolsas: O Programa de Bolsas de autismo Ajuda Rede é para ajudar as famílias a obter escolaridade autismo específicos, os programas ano letivo, as escolas privadas ou desenvolvimento de programas de autismo; subsídios são de até US $ 1.000 para fornecer terapia e não-experimental tratamentos biomédicos para crianças que têm autismo.

These grants are given on a once a year basis. Estas bolsas são concedidas a uma vez por ano base. The deadline for applications is July 1st of each year in order to be granted in time for the upcoming school year in September. O prazo para as inscrições é 01 de julho de cada ano, a fim de ser concedida a tempo para o próximo ano letivo em setembro. The typical turn around time from application to decision is 45 days. A virada típicos em torno do tempo de aplicação para a decisão é de 45 dias.

Restrictions: The child must have a diagnosis of ASD and be of school age. Restrições: A criança deve ter um diagnóstico de ASD e estar em idade escolar. Reason for seeking private schooling must be explained and income qualification is less than $45,000 per year for the entire household. Razão para a procura de ensino privado deve ser explicada e qualificação de renda é inferior a 45.000 dólares por ano para toda a família.
Financial Grants: The Autism Help Network works to provide families with grants for various purposes, such as Therapy costs, Medical treatments, and Bio-Medical treatments. Subsídios financeiros: A Rede Ajuda Autismo trabalha para proporcionar as famílias com doações para várias finalidades, tais como custos de terapia, tratamentos médicos, e Bio-Medical tratamentos. These grants are provided by the fundraising efforts of AHN and a partial contribution from the advertising dollars from the Autism Globe magazine. Estes subsídios são fornecidos pelos esforços de angariação de fundos dos AHN e uma contribuição parcial das verbas de publicidade da revista Globe autismo.
Grant applications are accepted year round with no deadline. Os pedidos de subvenção são aceitas durante todo o ano, sem prazo. You can download the application by clicking the link at the top of this page. Você pode baixar o aplicativo clicando no link no topo desta página. Grants are funded quarterly throughout the year and are determined by the funding available. Bolsas são financiadas trimestrais ao longo do ano e são determinados pelo financiamento disponível.
Restrictions: Proof of ASD diagnosis from medical professional. Restrições: Prova de diagnóstico de ASD médico profissional. Income level under $55,000 per year for entire household. Nível de renda abaixo de US $ 55.000 por ano por família inteira. Other restrictions may apply. Outras restrições podem ser aplicadas.

Autism Society of Connecticut Autism Society of Connecticut    

ASCONN provides a grant program for families and persons with autism spectrum disorders. ASCONN oferece um programa de bolsas para famílias e pessoas com transtornos do espectro do autismo.
Grants will be accepted for up to $1,000 per grant for parents, family members, persons with autism or anyone working with persons on the autism spectrum. Subsídios serão aceitos para até US $ 1.000 por subvenção para os pais, familiares, pessoas com autismo ou qualquer um que trabalha com pessoas dentro do espectro do autismo.
Funds must be used to purchase items or services that directly relate to the safety and security of persons with autism or their families within Connecticut. Fundos devem ser usados ​​para comprar itens ou serviços que se relacionem directamente com a segurança de pessoas com autismo e suas famílias dentro de Connecticut.
Download the grant application , or email us or call 888-453-4975 to be sent an application. Baixe o pedido de subvenção , ou e-mail ou ligue para 888-453-4975 nos ser enviado um pedido.

Autism Support Daily Suporte autismo Diário

This organization uses donor funds to provide financial assistance, support, guidance, recreational activities and educational training to families and friends of children and young adults with autism spectrum disorder living in the state of Vermont. Esta organização usa fundos dos doadores para prestar assistência financeira, apoio, orientação, atividades recreativas e de formação educacional para as famílias e amigos das crianças e jovens adultos com autismo vivem transtorno do espectro no estado de Vermont.
Grants total no more than $400 per family. Concede total de mais de US $ 400 por família.

The Bubel Aiken Foundation O Bubel Aiken Foundation

Financial Assistance for Child Participation in Approved Inclusive Programs Assistência financeira para a participação infantil nos programas aprovados Inclusive
Funding Limit: $1,000/yr Financiamento Limite: 1.000 dólares / ano
Project Period: up to 12 months Período do projeto: até 12 meses
Financial assistance for a child to participate in approved inclusive programs. Assistência financeira para uma criança a participar de programas aprovados inclusive. The program must be approved by The Bubel/Aiken Foundation. O programa deve ser aprovado pela Fundação Bubel / Aiken. Any funding dispensed will be given through the approved program or organization. Dispensada qualquer financiamento será dado através do programa aprovado ou organização. Families with a combined household income of less than $75,000 are eligible to apply. Famílias com uma renda familiar combinado de menos de 75.000 dólares podem candidatar-se. Upon submission, the Foundation will contact the desired program to determine if the program will successfully include the child in order to designate them as an approved program. Mediante a apresentação, a Fundação entrará em contato com o programa desejado para determinar se o programa com sucesso incluem a criança, a fim de designá-los como um programa aprovado.
Grantees will be eligible for support for a maximum of two years. Os beneficiados serão elegíveis para apoio a um máximo de dois anos. An application will be required each year. Uma aplicação será necessária a cada ano.
Let's ALL Play—Inclusion in Recreational Programs Vamos jogar ALL-inclusão em programas recreativos
Funding Limit: $20,000/yr Limite de financiamento: 20.000 dólares / ano
Project Period: up to 12 months Período do projeto: até 12 meses
Let's ALL Play is a program model for recreational programs that are currently serving children with special needs and wish to do it better or programs seeking to open doors currently shut to children with special needs in their community. Vamos ALL Play é um modelo de programa para programas de lazer que estão servindo atualmente crianças com necessidades especiais e deseja fazê-lo melhor ou programas que procuram abrir as portas atualmente fechada para crianças com necessidades especiais em sua comunidade. The Foundation looks to partner with programs who are looking to do one or more of the following: A Fundação procura fazer parcerias com programas que estão olhando para fazer um ou mais dos seguintes:
o Implement the Foundation's Let's ALL Play Program Deixe o Implementar da Fundação da ALL Programa Jogue
o Partner with the Foundation in training staff in how to serve children with special needs successfully in an inclusive setting o parceiro com a Fundação na formação do pessoal como para atender às crianças com necessidades especiais com sucesso em um ambiente inclusivo
o Provide scholarships for children with special needs who otherwise could not participate due to financial need o Proporcionar bolsas de estudo para crianças com necessidades especiais que de outra forma não poderia participar devido à necessidade financeira
Grantees will be eligible for support for a maximum of three years. Os beneficiados serão elegíveis para apoio a um máximo de três anos. An application will be required each year. Uma aplicação será necessária a cada ano. Read more about Let's ALL Play by clicking here. Leia mais sobre Vamos ALL jogo clicando aqui.
Inclusive Recreational and Learning Experiences promoting Awareness, Education, and Health Inclusive Experiências recreativas e de aprendizagem promovendo a consciência, Educação e Saúde
Funding Limit: $20,000/yr Limite de financiamento: 20.000 dólares / ano
Project Period: up to 12 months Período do projeto: até 12 meses
Inclusive Recreational and Learning Experiences promoting Awareness, Education, and Health should be designed to deliver new or improved services to demonstrate successful and increased inclusion outcomes for children with special needs in the following areas: Inclusive Experiências recreativas e de aprendizagem promovendo a consciência, educação e saúde devem ser projetados para oferecer serviços novos ou melhorados para demonstrar resultados de sucesso e inclusão maior de crianças com necessidades especiais nas seguintes áreas:
o Development of inclusion/integration curricula, primarily K-12 o Desenvolvimento de inclusão / integração currículos, principalmente K-12
o Service learning opportunities and program development, training, and implementation o Serviço de oportunidades de aprendizagem e desenvolvimento de programas, treinamento e implementação
o Development, training, and implementation for recreational programs o Desenvolvimento, treinamento e implementação de programas de lazer
o Inclusion strategies for minority populations As estratégias de inclusão para o populações minoritárias
o Promotion of health benefits for children with special needs in inclusive settings o Promoção de benefícios de saúde para crianças com necessidades especiais em contextos inclusivos
Grantees will be eligible for support for a maximum of three years. Os beneficiados serão elegíveis para apoio a um máximo de três anos. An application will be required each year. Uma aplicação será necessária a cada ano.

The Daniel Jordan Fiddle Foundation A Fundação Daniel Jordão Fiddle

The mission of DJF is to award grants to programs that benefit adolescents and adults with Autism. A missão da DJF é conceder subvenções a programas que beneficiem adolescentes e adultos com autismo. Each year, the DJF Board of Trustees receives proposals from organizations throughout the United States and abroad seeking grant support for programs benefiting adolescents and adults that may involve vocational, educational, residential, recreational or family related endeavors. Cada ano, o Conselho de Curadores DJF recebe propostas de organizações em todo os Estados Unidos e no exterior em busca de apoio para os programas de subsídio beneficiando adolescentes e adultos que podem envolver profissional, educacional, residencial, lazer ou família esforços relacionados. In each calendar year, the DJF Board of Trustees will determine, at their sole discretion, the number, dollar amount and type (s) of grants to be awarded. Em cada ano civil, o Conselho de Curadores DJF vai determinar, a seu exclusivo critério, o número quantia de dólares, e tipo (s) de bolsas a atribuir. Generally, these decisions are based on the quality of the proposals received and the feasibility of implementation by the prospective grantees. Geralmente, essas decisões são baseadas na qualidade das propostas recebidas e da viabilidade de aplicação, pelos beneficiários em potencial.
Additional factors considered include the potential for program replication in other communities and the originality of the proposed program. Outros fatores considerados incluem o potencial para replicação do programa em outras comunidades e da originalidade do programa proposto. Importantly, however, the determination is not limited to any of the factors stated above. Importante, entretanto, a determinação não está limitado a qualquer um dos fatores mencionados acima.

The Doug Flutie Foundation O Doug Flutie Foundation

The Doug Flutie Foundation makes grants to IRS approved 501 c (3) organizations and qualified schools and organizations that support families living with autism. O Doug Flutie Fundação faz doações para IRS aprovado 501 c (3) organizações e escolas qualificadas e organizações que apóiam as famílias que vivem com autismo. The foundation gives only in New England, New York, New Jersey, parts of Canada and California. A fundação dá apenas na Nova Inglaterra, Nova York, Nova Jersey, partes do Canadá e da Califórnia.
The average grant size will be in the $10,000-$20,000 range. Please do not request more than $20,000 . O tamanho médio de concessão será no $ 10.000 -. Gama $ 20.000 Por favor, não pedir mais de US $ 20.000. Requests for endowments or multi-year grants will not be accepted, and grant recipients must re-apply each year. Pedidos de dotes ou multi-year bolsas não serão aceitos, e os beneficiários de subvenções devem voltar a aplicar a cada ano.
866-3AUTISM or 508-270-1855, Framingham, MA. www.dougflutiejrfoundation.org 866 3AUTISM ou 508-270-1855, Framingham, MA. www.dougflutiejrfoundation.org

Easter Seals Easter Seals

Easter Seals provides in home services and supports for adults who have severe physical or cognitive impairments. Easter Seals fornece serviços em casa e dá suporte para os adultos que têm graves deficiências físicas ou cognitivas. Adults with autism are eligible for services, including companionship/respite, homemaker/housekeeping, therapy, health services and personal care. In home care services that preserve dignity and self-esteem as well as promote increased independence are offered. Adultos com autismo são elegíveis para serviços, incluindo companheirismo / descanso, dona de casa / housekeeping, terapia, serviços de saúde e cuidados pessoais. Em serviços de home care que preservam a dignidade e auto-estima, bem como promover uma maior independência são oferecidos. Services provided include bathing, dressing, meal preparation, laundry, light housekeeping, transportation and shopping. Os serviços prestados incluem tomar banho, vestir, preparação de refeições, lavandaria, limpeza a luz, transporte e compras. View the Easter Seals directory to locate a provider. Ver o Easter Seals diretório para localizar um provedor.

Georgia Special Needs Scholarship Program Georgia Necessidades Especiais Programa Bolsa

The Georgia Special Needs Scholarship Program provides eligible special education students with the opportunity to attend private schools or public schools other than the one they would normally be required to attend. A Geórgia Necessidades Especiais Scholarship Program oferece elegíveis estudantes de educação especial com a oportunidade de frequentar as escolas privadas ou escolas públicas que não seja aquele que normalmente seriam obrigados a assistir. To qualify, students' parents must be current residents of Georgia who have resided in the state for at least one calendar year, and students must have an IEP and have attended a Georgia K-12 public school the prior school year. Para se qualificar, os pais dos alunos devem ser residentes atuais da Geórgia que tenham residido no estado há pelo menos um ano civil, e os alunos devem ter um IEP e ter assistido a um Georgia K-12 escolas públicas do ano lectivo anterior. Students who have autism are eligible to participate in the scholarship program. Estudantes que têm autismo são elegíveis para participar no programa de bolsas.

Give Me A Break Fund Give Me A Ruptura de Fundo

The Give Me A Break Respite Fund (GMAB Fund) is intended to provide respite funds to people who would be qualified to relieve families of the daily care and supervision of a loved one with autism. A Give Me A Fundo Respite Break (GMAB Fund) se destina a fornecer fundos descanso para as pessoas que estariam qualificados para aliviar famílias dos cuidados diários e supervisão de um ente querido com autismo. The Autism Society of Colorado (ASC) believes that parents or other care providers are the best resource for their children. A Sociedade de Autismo da Colorado (ASC) acredita que os pais ou outros prestadores de cuidados são o melhor recurso para seus filhos. As such, a regular break from their day-to-day duties is essential to their ability to provide long-term care. Como tal, uma ruptura regular de seu dia-a-dia deveres é essencial para a sua capacidade de fornecer cuidados de longa duração. The ASC also wants to demonstrate accountability and forward-thinking leadership by promulgating a model that not only addresses the need of families for respite care, but for respite care by QUALIFIED PROVIDERS. A ASC também quer demonstrar responsabilidade e com visão de futuro da liderança promulgando um modelo que não só aborda a necessidade das famílias para o cuidado da pausa, mas para o cuidado da pausa por fornecedores qualificados.
Our GMAB Fund Families will have the opportunity to be matched to one of the trained providers who have completed the two-day workshop mentioned above. Nossa Família GMAB Fundo terá a oportunidade de ser compensada com um dos provedores formados que tenham concluído o workshop de dois dias mencionados acima. The providers they utilize will be paid up to $150 per family to provide respite care. Os provedores que utilizam será pago até US $ 150 por família para fornecer cuidados de repouso.

Helping Hand Program – National Autism Association Ajudando Programa Mão - National Autism Association

The Helping Hand Program provides families with financial assistance in getting necessary biomedical treatments, supplements and therapy services for their autistic child. Do not apply for this grant if you are seeking funds for respite care, fencing, trampolines, swingsets, trips to Disney World, etc. Your child must meet all three basic criteria to apply: O Programa de Helping Hand oferece às famílias com a assistência financeira necessária na obtenção de tratamentos biomédicos, suplementos e serviços de terapia para o seu filho autista. Não aplique para esta bolsa se ​​você está procurando fundos para cuidados de repouso, esgrima, trampolins, swingsets, viagens à Disney World, etc Seu filho deve atender todos os três critérios básicos para aplicar:
1. 1. Birth to age 18 Nascimento até 18 anos
2. 2. Reside in the United States of America. Residir nos Estados Unidos da América.
3. 3. Diagnosed with an autism spectrum disorder. Diagnosticado com um transtorno do espectro do autismo.
All grants awarded are paid directly to the vendor or service provider to pay for tuition, supplements/medication, medical evaluation or testing, therapies, etc. The maximum amount we can award per child is a one-time grant of $1,500. Todas as subvenções concedidas são pagos diretamente ao fornecedor do fornecedor ou serviço a pagar a mensalidade, suplementos / medicamentos, avaliação médica ou teste, terapias, etc A quantidade máxima que podemos prêmio por criança é de um subsídio único de R $ 1.500.

NeighborHeart Quality of Life Grants Qualidade NeighborHeart de Outorgas Vida

Through our Quality of Life Grant program, families that care for children and adults with autism and other special needs may receive funding to offset their enormous financial burdens. Através do nosso programa de Qualidade de Vida Grant, as famílias que cuidam de crianças e adultos com autismo e outras necessidades especiais podem receber financiamento para compensar as suas enormes encargos financeiros. These grants provide families with stipends that may be used for a wide variety of supports related to their family member. Estas bolsas oferecem famílias com salários que podem ser usados ​​para uma ampla variedade de suportes relacionados com a sua familiar.
In order for an application to be considered for a Quality of Life Grant, an applicant must: Para que um aplicativo a ser considerado para uma Qualidade de Vida Grant, o candidato deve:
+Have an individual with a diagnosed developmental disorder or disability living at home. + Tenha um indivíduo com uma doença diagnosticada desenvolvimento ou deficiência que vivem em casa.
+Have a family income of less than $30,000 per year (see below). + Tenha uma renda familiar de menos de US $ 30.000 por ano (veja abaixo).
+Live in the Mid-Atlantic Region of the United States (ie, Virginia, Washington DC, Maryland, Delaware, Pennsylvania, New Jersey and New York only). + Vivem na região do Meio-Atlântico dos Estados Unidos (ou seja, Virginia, Washington DC, Maryland, Delaware, Pennsylvania, New Jersey e New York apenas).
The $500 grants can be used for anything that improves the family's quality of life, including therapy, medical treatment and travel, respite care, educational advocacy services, training fees and security improvements. As subvenções $ 500 pode ser usado para qualquer coisa que melhore a qualidade de vida da família, incluindo tratamento de terapia, médico e de viagem, cuidado de repouso, serviços de advocacia educacionais, custos de treinamento e melhorias de segurança.

United Healthcare Children's Foundation United Healthcare Foundation infantil

The UnitedHealthcare Children's Foundation is a 501(c)(3) non-profit charity dedicated to facilitating access to medical-related services that have the potential to significantly enhance either the clinical condition or the quality of life of the child and that are not fully covered by the available commercial health benefit plan. Fundação da Criança UnitedHealthcare é uma 501 (c) (3) organização sem fins lucrativos dedicada a facilitar o acesso aos médicos relacionados com os serviços que têm o potencial para melhorar significativamente tanto a condição clínica ou a qualidade de vida da criança e que não são totalmente abrangidas pelo plano de benefícios comerciais de saúde disponíveis. This “support” is in the form of a medical grant to be used for medical services not covered or not completely covered by commercial health benefit plans. Este "apoio" está na forma de uma subvenção médica a ser utilizada para os serviços médicos não cobertos ou não completamente coberto pelos planos de benefícios comerciais saúde. Medical grants are up to $5,000 and can vary in size. Doações médicas são de até US $ 5.000 e podem variar de tamanho.

Bridge the Gap, Inc. Ponte da Gap, Inc.

Persons having or directly supporting a person with an ASD will be eligible for grant consideration. Pessoas que têm ou que apoiam directamente uma pessoa com um ASD será elegível para a consideração da subvenção. Shawano County residents will be given first considerations for available funds. Residentes Shawano County será dada primeiras considerações para os fundos disponíveis. Funding left over will be allotted to individuals residing in other counties in Wisconsin, must be a Wisconsin resident. Financiamento que sobraram serão atribuídas aos indivíduos que residem em outros municípios, em Wisconsin, deve ser residente Wisconsin. Grants will be given out on a quarterly basis and will be issued in the months of March, June, September and December. Bolsas serão entregues em uma base trimestral e será emitido no mês de março, junho, setembro e dezembro.

The Canyon Rice Hope Scholarship O Canyon Bolsa Esperança Arroz

The Canyon Rice Hope Scholarship provides grants to children with autism and other developmental disabilities for therapeutic tools, camp fees and other expenses not covered by insurance. O Canyon Bolsa Esperança Arroz concede bolsas para crianças com autismo e outras deficiências de desenvolvimento de ferramentas terapêuticas, as taxas de acampamento e outras despesas não cobertas pelo seguro. Grants are usually in the $100-$250 range in order to benefit as many people as possible. As subvenções são geralmente em US $ 100 - $ 250 gama, a fim de beneficiar tantas pessoas quanto possível. The grant is a program of Gateway Services in Franklin, IN. A subvenção é um programa de Gateway de Serviços em Franklin, IN. For more information, contact JENNY_L_RICE@YAHOO.COM . Para mais informações, entre em contato JENNY_L_RICE@YAHOO.COM .


Read more: http://translate.googleusercontent.com/translate_c?hl=pt-BR&langpair=en%7Cpt&rurl=translate.google.com.br&twu=1&u=http://www.autismsupportnetwork.com/resources/autism-grants-united-states&usg=ALkJrhg6_lss-S8Eh1-gY6p4PBpi95G04w#ixzz1ab6uweC8