terça-feira, 8 de novembro de 2011

CPI da Acessibilidade propõe melhorias para tratamento dos portadores de Autismo

A Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) da Acessibilidade discutiu nesta terça-feira a situação dos autistas na cidade de São Paulo. Houve um consenso de que faltam políticas públicas voltadas especificamente para portadores dessa doença que atinge 100 mil pessoas,  segundo o psiquiatra Estevam Vadasz.
Vadasz,  que é coordenador do Ambulatório de Autismo do Instituto de Psiquiatria do Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da USP, afirmou que no Brasil não existem referências no acompanhamento de autistas como ocorre em outros países.
O psiquiatra afirma ainda que é preciso construir centros de referência para autistas, a exemplo das unidades que atendem os idosos na cidade. Nesses  centros é possível realizar atendimento ambulatorial quanto atividades culturais e educacionais.
A proposta  foi defendida pelo vereador Natalini (PV), presidente da CPI, que destacou a importância do diagnóstico precoce em casos de autismo. Para ele, o Centro de Referência seria uma solução completa.

Nenhum comentário:

Postar um comentário