quinta-feira, 5 de abril de 2012

Jornal Editorial

Dia Mundial da Conscientização sobre o Autismo

Um dia para vestir azul e discutir o autismo. Em todo o mundo, a data de 2 de abril é marcada pela conscientização sobre a síndrome.
Segundo Cristina Maggessi, diretora de eventos da Associação de Pais e Amigos do Autista do Rio Grande do Sul (AMARS), o autismo é um distúrbio do desenvolvimento humano, caracterizado por desvios na comunicação, uso da imaginação e interação social. Por isso, em diversos lugares do mundo foram organizados eventos para Dia Mundial da Conscientização sobre o Autismo. Em Porto Alegre, as bandas Papas da Língua e Chimarruts participaram de um show na Usina do Gasômetro. Além disso, no dia 4 também foi realizada a palestra “Autismo — como chegamos até aqui e para onde vamos”, com o médico Carlos Gadia na Assembleia Legislativa do Rio Grande do Sul.
De acordo com Cristina, a data foi instituída pela ONU em 2007 para a conscientização mundial, uma vez que estima-se que mais de 70 milhões de pessoas possuam a síndrome. O dia é marcado pelo uso do azul, cor do autismo, nas roupas das famílias e na iluminação de casas e monumentos ao redor do mundo, como a Usina do Gasômetro em Porto Alegre, o Cristo Redentor no Rio de Janeiro e o Empire State Building em Nova York. “Esperamos que com a divulgação e conscientização, tenhamos menos preconceito”, diz Cristina.
O autismo não é considerado uma doença, o que impede o atendimento pelo Sistema Único de Saúde (SUS). Por isso, está em andamento um projeto de lei, aprovado no Senado e esperando votação no Plenário da Câmara dos Deputados, que reconheceria o autista como uma pessoa com deficiência, garantindo assim diagnósticos, tratamentos e inclusão social por meio de escola e lazer.
Texto: Anahís Vargas, Daniela Flor e Muriell Custódio

Nenhum comentário:

Postar um comentário